Cultivando a Liberdade

À um tempo a traz me deparei a um texto lindo e repleto de significado, que fala sobre a arte de cultivar a liberdade em nossas vidas!
Aqui vai uma amostrinha, boa leitura!
Marina x
‘Começar a cultivar a liberdade nos traz uma revelação profunda e imediata. Somente quando não estamos cheios de opiniões é que estamos verdadeiramente receptivos. Somente quando não temos medo da perda é que começamos a nos abrir de coração para o mundo a nossa volta. Neste caminho de transformação interior, somos encorajados a nos libertar de tudo, a abandonar todo o tipo de apego. Somos encorajados a nos libertar de preocupações com o passado, planos para o futuro e os apegos do presente. Somos encorajados a renunciar as imagens, expectativas, medos e culpas. Isto nos permite estar realmente presentes, ao invés de preocupados com o que já aconteceu ou com o que esperamos que aconteça.
Podemos nos questionar se algo ainda terá significado depois de todo este processo de libertação. Talvez tenhamos medo que isto nos torne um tanto frios, vazios e sem direção; quando nos libertamos de tudo que nos define. Nós aprendemos a igualar ‘estar sem’ com ‘privação’, e ‘estar sozinho’ com ‘solidão’. Se este processo de libertação/ desapego é o preço da liberdade, podemos duvidar se estamos mesmo preparados ou se somos capazes de pagar o preço por essa liberdade.
Mas a nossa compreensão e franqueza nos retribui ao longo do processo. É importante entender que tudo que já perdemos, nunca foi nosso, e à tudo que nos apegamos, somente nos aprisiona.
A vida espiritual é aprender o prazer desta liberdade/ desapego, e esta arte nos serve em qualquer circunstâncias. Nos permite viver com sabedoria. A vida é inevitavelmente um processo que nos dá a oportunidade de aprender a nos libertar, da infância à adolescência e desta para nos tornarmos adultos. Nos libertando de nossos medos e hábitos, há mais espaço para que a sabedoria apareça. Andar por este mundo repleto de mudanças e nos libertar de crenças, apegos, e da ideia de um ‘Eu’ imutável, um dia de cada vez, é saber viajar com um coração aberto e gracioso. Deixar de lado o que não mais nos serve é permitir e dar espaço para que algo novo seja criado. Isto é liberdade.
Quando temos clareza, descobrimos que na verdade não somos os donos das coisas em nossas vidas. Nossas casas, tudo aquilo que chamamos de ‘nossos’, mesmo nossos filhos estão conosco somente por um período de tempo. Devemos nos relacionar sabiamente com tudo, não nos apegando ou sendo possessivos, mas sim tendo cuidado e cultivando o bem. Assim, nos libertamos, dia após dia, e aprendemos a cultivar a noção de apreciação e respeito ao próximo e à nos mesmos.
Quando aprendemos a estar realmente presentes, descobrimos que aquilo que tanto buscamos, esteve sempre conosco.’

Fonte: ‘Soul Food’ – J Kornfield & C Feldman.